Páginas

sábado, 8 de dezembro de 2018

BEBETO VENTURA LAÇARÁ NOVE LIVROS EM JANEIRO DE 2019



Convite
O Editor REI ARTS e o Autor Carlos Ventura da Silva (Bebeto Ventura) têm o prazer de convidá-lo para o lançamento de 9 livros con¬tendo 771 poemas de assuntos diversos conforme se vê pela foto das capas dos mesmos.
OBS. Não tem poema repetido

Que será realizado no dia 11 de Janeiro de 2019, a partir das 18h na Livraria Cia. do Livro Rua Lúcio de Mendonça, 24 - Loja 20 Centro - Barra do Piraí – RJ.  (Próximo ao Largo da Feira).

Para mais informações ligue: (24) 98141-3084 “Lampião”
























sábado, 1 de dezembro de 2018

domingo, 25 de novembro de 2018

A ÁRVORE “POEMA WANDERSON SIQUEIRA DE CASTRO”



"O escritor pinheiralense, Wanderson Siqueira de Castro, autor de "Aimirim Num País Quase Maravilhoso", nos apresenta a Fábula "A Árvore", uma discussão sobre a beleza. A beleza divina que vive no interior de cada um de nós. As vezes ela não é vista "a olhos nus", precisamos enxergar dentro da alma das pessoas para descobrirmos essa beleza que não acaba com o tempo, que não envelhece e não desperta a cobiça! De forma simples e singela, abre uma discussão sobre o que consideramos belos. Faça a leitura e tire você mesmo as suas conclusões:"

A ÁRVORE

Num campo florido
Uma pequena semente nasceu
Sem que ninguém soubesse.

A semente cresceu
Transformando-se numa árvore feia,
Tendo seus galhos fracos,
Seu tronco podre
E suas folhas não agradavam ninguém!

Crianças que por ela passavam
Nem a olhavam direito,
Pois as crianças eram bonitas
E a árvore não era digna de suas belezas!

Num dia ensolarado, apareceu um garoto chorando,
Chorando porque não era belo!
O garoto olhou para árvore
E viu que ela também não era bela!
Chegou perto dela e perguntou:
- Por que não somos belos como os outros?
Então a árvore lhe respondeu:
- Porque nós carregamos a beleza divina
Que só os belos, de verdade, conseguem enxergar!

Surpreso com árvore, o garoto contou
A todos que conversara com ela.
Muitos foram aqueles que fizeram perguntas,
Mas poucos receberam a resposta.

Wanderson Siqueira de Castro
Pinheiral - RJ

sábado, 3 de novembro de 2018

POETA WANDERSON SIQUEIRA DE CASTRO (POESIA LEMBRANÇAS)


*O escritor pinheiralense Wanderson Siqueira de Castro, que recentemente lançou o livro infanto-juvenil "Aimirim Num País Quase Maravilhoso", e publicou também neste blog suas poesias "Versos Soltos" e "Ajuda-me", traz agora um novo trabalho, intitulado "Lembranças", uma discussão dos fatos do presente, do passado e do futuro, uma análise de nossas atitudes, uma reflexão de nossa alma! Um ensaio sobre o tempo, em um verdadeiro cesto de dúvidas, desilusões e esperanças. Assim como é vida de todos nós! Boa leitura e tire você também suas próprias conclusões:

Wanderson Siqueira de Castro

(24) 98867-5379 (zap)



Lembranças

O que são lembranças
A revisão dos fatos do passado?
A releitura do que não fizemos e...
Gostaríamos de ter feito?

Lembranças boas,
Lembranças ruins.
Existem aquelas que não queremos esquecer jamais
E outras que fazemos o possível para esquecê-las.

Mas o que são lembranças que não os atos e fatos do presente,
Que decidimos guardar ou...
Tentar esquecer!

Lembranças da juventude, onde o futuro é o agora!
O hoje, neste instante, e o passado... Transforma-se em fração de segundo.
Juventude muitas vezes descompromissada com o tempo
Com os compromissos que assumimos, quando adultos.

Parte das boas lembranças que temos vêm da juventude
Época em que a vida ainda não se transformou numa chata rotina!
Quando jovens, queremos ser adultos a qualquer custo,
Mas quando chegamos lá, descobrimos que não é tão bom assim!
Compromissos diversos e a busca incessante por dinheiro,
Faz-nos esquecer de que a vida é uma só.
E que o tempo passa, o corpo se desgasta e quando finalmente,
Chega a hora de gastar tudo àquilo que guardamos, às vezes é tarde demais!

Só existirão lembranças, se houver presente.
Só existirão sorrisos, se houver alegria de viver e,
Motivos para sorrir!

A vida, em alguns casos, toma o rumo que a gente quer.
Mas será que estamos preparados para este rumo?
Será que as lembranças do rumo tomado serão boas?
Ou a releitura do passado, poderá nos trazer um novo futuro?
As dúvidas e as incógnitas de hoje,
Serão as lembranças de um amanhã distante,
Só não sabemos se serão boas ou ruins!

Wanderson Siqueira de Castro
Pinheiral - RJ






Atenção

Quem quiser comprar o livro “Aimirim Num País Quase Maravilhoso”; entrar em contato com o autor Wanderson Siqueira de Castro. (24) 98867-5379 ou direto com a editora: REI ARTS Rua Dr. Mariano Borges, 49 – Centro Barra do Piraí – RJ (24) 98141-3084 “Lampião” 

Enviamos para qualquer parte do Brasil.
Preço de cada exemplar já com o frete 
R$: 35,00
 



sábado, 20 de outubro de 2018

POESIAS DE WANDERSON SIQUEIRA DE CASTRO


*O escritor pinheiralense Wanderson Siqueira de Castro, após lançar o livro "Aimirim Num País Quase Maravilhoso", nas cidades de Pinheiral e Conservatória, distrito de Valença; apresenta aos leitores seus trabalhos em poesias "Versos Soltos" e "Ajuda-me". Trabalhos que falam da dor do amor e das indecisões da juventude. De linguagem fácil, os textos retratam o fundo da alma, para um público que gosta de falar de amor em toda a sua essência! 

Wanderson Siqueira de Castro.
 (24) 98867-5379



Versos Soltos

Quando estou só,
Viajo por minh’alma.
E a cada viagem,
Descubro-me cada vez mais inseguro,
De desejos incertos,
De verdades falsas.
E sentimentos contraditórios.
Hoje, não choro por um amor,
Mas por vários.
Hoje, não fico triste,
Fico depressivo.
Sorrio para todos, menos pra mim.
Dou conselhos aos que me procuram,
Mas sempre me sinto perdido.
Pelos mais longínquos cantos da alma,
Só encontro o vazio.
E a cada parada,
Travo uma intensa batalha entre a adolescência e a vida adulta.
Não consigo mais saber se sou,
Um jovem promissor
Ou um caipira sonhador...

Wanderson Siqueira de Castro
Pinheiral – RJ




AJUDA-ME

As lágrimas caem no meu rosto
Como uma chuva intensa.
A tristeza reina em minha face,
O sorriso não é mais frequente.

Todos os momentos me fazem lembrar de ti,
Em todos os rostos vejo tua face.

Os amigos me consolam,
Mas não adianta.
Os remédios me dopam,
Mas o efeito acaba.
A música me alegra,
Mas tu me entristeces.

Como vês, as fugas não adiantam,
A morte não tenho coragem,
Por favor, diga-me como te esquecer,
Antes que eu esqueça que existo.


Wanderson Siqueira de Castro
Pinheiral - RJ